Empresas no Século XX PDF Imprimir E-mail
Qua, 25 de Maio de 2011 00:00

As empresas começaram a entrar na internet, a participarem das redes a partir de 1990. Porém, entravam simplesmente para estarem nas redes. Era a Síndrome do Boi: “se está todo mundo entrando, vamos entrar também”. Nos anos 2000, a maioria das empresas já estava presente nas redes. Começou uma nova febre, a interação. Comunicação em redes é a comunicação para a interação entre pessoas, entre o social. No início pensavam que a interação era com animações em flash. Por isso, os sites começaram a competir na animação, porém, na verdade queriam interação.

Porém, o Google vem acabar com essa competição. Ao criar o sistema de busca de páginas por indexação de conteúdo. O flash não pode ser indexado. As páginas animadas que atraiam, e ainda atraem muitos na internet, não poderiam ser buscadas pelo Google. As empresas voltaram a usar os formatos padrões de criação de páginas, para poderem ser indexadas, localizadas pelas buscas na internet. Nas páginas buscou agregar novos valores ao conteúdo. Por fim, começaram a trabalhar com a verdadeira interação: as redes sociais.

Hoje as empresas procuram equipes para fazer um novo site ou para entrar nas mídias sociais. Na realidade, o que procuram é um novo modo de fazer dinheiro, seja atraindo pessoas para sua empresa, ou alimentando o nome da marca. Uma das maiores dificuldades das redes sociais é a paciência para esperar o retorno financeiro. Uma pessoa quer entrar na rede para lucrar, só que a rede serve somente para os relacionamentos. Ela serve para investir no relacionamento. O dinheiro só será visto nas mudanças da empresa e adaptação com o conhecimento obtido pelo relacionamento traçado com os usuários. A empresa tem que estar aberta para trabalhar com as redes sociais.

Nesse processo da comunicação virtual, o que mudou de fato não foi a WEB 1.0, 2.0 ou 3.0. Desde o início a WEB é a mesma. No início já era possível fazer um Twitter, mas o usuário não tinha essa necessidade. Porém, agora, com a mudança dos seres humanos, é que se busca essa interação. Portanto, estamos falando de uma Humanidade 5.0, o ser humano que se modificou, por isso devemos conhecê-lo.

Esse novo usuário quando interage nas redes sociais (twitta, facebooka, orkuta etc), libera substâncias que alivia o estresse. Essas substâncias são as mesmas que as pessoas liberam ao fumar, beber, tomar café, tomar uma cerveja no Happy Hour. Ou seja, as pessoas tem essa necessidade biológica de estar nas redes. Se antes as pessoas desciam para fumar, hoje elas param para acessar e postar algo na sua rede social.

Mas o que vemos hoje são empresas do século XX com funcionários e clientes do século XXI, que ficam on durante seus momentos de lazer, mas que durante o trabalho estão limitados e obrigados a ficarem off. Algumas empresas, que entenderam essa realidade, estão trabalhando com o formato de bônus para os funcionários interagirem com elas nas redes sociais.

Em 2014, estima-se que 91% do conteúdo da Web será em vídeo. As empresas deverão dominar seus vídeos, ter o controle sobre eles. Assim como devem estar atentas ao que se publica sobre elas nas redes sociais, por isso, devem entrar nas redes, para monitorar o que falam dela.