Oportunidades e Ameaças
Oportunidades e Ameaças PDF Imprimir E-mail
Seg, 19 de Março de 2012 00:00

Napoleão disse que são duas as alavancas do homem: o medo e o interesse. Tudo na vida é feito motivado por um medo ou interesse. Se você conhece o medo ou interessas das pessoas nas redes, você tem uma oportunidade e, também, uma grande ameaça, se isso não for usado eticamente.

 

Para aumentar suas oportunidades, aumente sua linkabilidade, torne fácil o acesso até você, seja autêntico e especial em alguma coisa. Busque mais qualidade e não quantidade. Com a qualidade, a quantidade aumenta sozinha.

 

Experimente, mas saiba como fazer isso. Entenda cada caso como único, não crie regras e padrões.

 
Educação Digital PDF Imprimir E-mail
Seg, 19 de Março de 2012 00:00

Temos que nos educar digitalmente! Criar o nosso ser digital: do mesmo modo que temos o nosso modo de vestir, cortar o cabelo, temos que ter os nossos modos no mundo virtual. Lembrando que a mídia é um reflexo da realidade. Ela não vai nos tornar melhores, apenas vai ampliar o que somos!

 

A ética deve estar em primeiro lugar. O primeiro passo para saber o que é ético ou não, é se questionar se estamos sendo éticos. Caso você não faça isso, tenha a certeza de que não estará sendo ético. Você pode prejudicar e causar danos irreversíveis para alguém publicando irracionalmente.

 

CASE: uma cliente da America Airlines tentou twittar que o avião estava com problemas e que faria um pouso de emergência. Como ela não conseguia Twittar, resolver postar no Face que a empresa estava bloqueando o Twitter para ela. A imprensa logo em seguida começou a divulgar o caso de censura. Centenas de pessoas começaram a postar o absurdo que era bloquear os tweets dos clientes. Um tempo depois, descobriu-se que o Twiiter estava fora do ar, por isso ela não conseguiu postar.

 
Conceitos PDF Imprimir E-mail
Seg, 19 de Março de 2012 00:00

As redes sociais existem desde sempre. As mídias sociais também. O homem das cavernas tinha suas próprias redes e mídias. A rede dos caçadores, a mídia fogo para espantar os animais, dizer onde está a tribo. O que mudou, foi a evolução das mídias, que geraram um colapso de tempo e espaço. Se antes as pessoas demoravam meses para saber que a guerra acabou, hoje, em apenas dois minutos, é possível saber o que está acontecendo no outro lado do mundo.

 

Muitos consideram o Facebook, Twitter, Orkut, uma rede social. Mas são apenas ferramentas, como o telefone. O telefone é uma rede social? Não. Então, são ferramentas de mídias sociais, que são utilizadas para interagirmos nas nossas redes sociais.

 

Tudo isso muda o ser. McLuhan: "O homens criam as ferramentas. As ferramentas recriam os homens". Logicamente, essa mudança tem aspectos positivos e negativos. O que acontece hoje é uma falta de Educação Digital. Antes, tínhamos filtros: a imprensa, a geografia. Hoje, não mais. a imbecilidade nas redes/mídias é enorme.

 

Por isso, cada vez mais buscamos filtros nas redes. Ao seguir alguém no Twitter, curtir uma página no Face, estamos buscando um filtro do conteúdo que queremos receber, nos relacionar.

 

Nas redes, criamos laços: fortes e fracos. O primeiro não traz novidade e, no geral, são aqueles que vão nos defender. O segundo tipo trazem novidades, sobretudo, ameaças e oportunidades. São importantíssimos para o sucesso (crescimento) ou para o fracasso.

 

No virtual, fazemos exatamente o que fazemos no real. Porém, é tudo divulgado com maior velocidade, abrangência, mobilidade... Por isso, muito cuidado ao dizer onde estamos, as fotos e o conteúdo que postamos. O Twitter pode ser os 140 caracteres mais poderosos. E tudo isso que postamos, não é deletado, permanece na rede. "As pessoas esquecem, a internet não". Pensa-se até mesmo que, no futuro, os jovens vão ter que trocar de nome, para não estarem associados aos conteúdos que um dia postaram.

 

Existem sites que fazem uma busca das pessoas na internet:

www.spokeo.com

www.123people.com.br

www.geni.com

 
Cases PDF Imprimir E-mail
Seg, 19 de Março de 2012 00:00

BURGUER KING
Burguer King, em 2008, lançou a campanha "Whopper Sacrifice" no Facebook. Para ganhar um Whopper, lanche mais vendido na rede, o usuári teria que excluir do seu Face, 10 amigos. Cada amigo excluído recebia uma mensagem dizendo que amizade era tudo, mas um Whopper do Burger King era mais. Além de questionar as amizades, no âmbito digital, a viralização era fácil e rápida: 10 x 10 x 10... miljhares de pessoas excluídas, divulgando a marca. O Facebook, em pouco tempo, decidiu tirar o aplicativo do ar, pois estava desmanchando a rede de relacionamentos.

 

FAMOSOS DA INTERNET

Suzan Boyle, em 2008, e Paul Potts, em 2007, foram lançados no mundo das estrelas no mesmo programa, com as mesmas características. Porém, Susan conseguiu o mesmo número de views que Paul conseguiu em um ano, em apenas uma semana. Ou seja, em um ano, a capacidade e velocidade de viralização aumentou. Virou oportunidade.

 

UNITED BREAKS GUITAR

Após tentar reaver sua guitarra que foi quebrada em um voo da United, um músico criou um clipe falando sobre o ocorrido. A empresa, que não estava nas redes sociais, se sentiu obrigada a intervir, pois seus clientes estavam. A marca perdeu USS 180 mi com este vídeo que teve 7,5 milhões visualizações.

 

THE HUB
O Walmart criou, em 2006, uma rede social para jovens/adolescentes. O diferencial desta rede: tudo o que era postado, era recebido pelos pais. Obviamente, não deu muito certo. Porém, o que poderia ser uma catástrofe, foi apenas um experimento que não deu certo e hoje nem ouvimos falar desta "gafe". A empresa soube ousar e errar "timidamente".

 

DOVE
A campanha da Dove pela real beleza tem um vídeo que possui milhões de visualizações. Muitos só conhecem a campanha por este meio. Porém, existem mais de 10 vídeos. Foi preciso produzir muito, refazer, tentar várias vezes para se obter o sucesso.

 
Saiba mais... PDF Imprimir E-mail
Seg, 19 de Março de 2012 00:00

Vídeo: Social Media Revolution 2011

Livro: The Numarati

Livro: The Cluetrain Manifesto

Filme: TakeDown